REVIEW: 40 Winks - It's The Trip (2011)

É no mínimo estranho ouvir este projecto de hiphop electrónico.
40 Winks apresenta-nos It’s The Trip, um álbum de difícil classificação, cuja viagem de pouco mais de 50 minutos é-nos apresentada sob a forma de samples e melodias muito jazz. Há, contudo, uma contemporaneidade na sua construção que evidencia a presença de elementos electrónicos, como parte integrante da trip musical.
Interessante é também a estrutura do álbum. A entrada, muito inspirada no jazz dos anos 50 de Miles Davis, remete-nos para um downtempo que se prolonga por 18 faixas. As influências cinematográficas conseguem ser realmente inteligíveis e remetem-nos para certas ambiências. Em Mood Adaptar (Prelude), somos introduzidos através da conjugação de vários samples de metais e percussão que culminam em Tribal Recipe, uma explosão de tambores e sonoridades tribais.
Cada música é como se fosse uma sensação. Somos levados a vários cantos da nossa percepção, como em Badwill, um mau estar de sintetizadores sugerem uma mudança de humor musical que só volta a acalmar em The Journey (Interlude). O chill out também está muito presente em músicas como Outside the Box. O dedilhar de guitarras e violinos em reverse por trás denotam uma construção rítmica muito bem conseguida.
É, sem dúvida, uma obra una e coerente; tenho visto poucas assim nos últimos anos. Acabamos a viagem numa incursão muito próxima do triphop, com aquele feeling de panorâmicas acentuadas e prolongadas. É uma despedida que resume o feeling de hiphop e electrónico que neste álbum vemos bem casado. Experimental, mas agradável.
A alemã Project: Mooncircle apresenta-nos estes 40 Wink num álbum muito interessante de apresentado no dia 15 de Abril deste ano. Interessante e fresco, a não perder.
6.5/10
SITE

0 comments:

    Publicar um comentário